Skip to content Skip to footer

Como fica a guarda quando os pais moram em cidades diferentes?

A guarda compartilhada tem o objetivo de garantir o direito da criança de conviver com os dois pais e que esses pais participem ativamente da vida do filho, não deixando que apenas um tenha a responsabilidade pelas decisões e criação da prole.

A guarda compartilhada é a modalidade de guarda na qual os pais assumem, juntos, as responsabilidades acerca da vida dos filhos e ela é a regra geral, só podendo ser alterada em casos especiais, onde pode gerar um prejuízo ao menor, como nos casos em que a relação dos pais é extremamente ruim e não existe diálogo, quando um dos pais expressamente não tem interesse nada guarda ou quando um dos pais não for apto para exercer o poder familiar (essa inaptidão tem que ser declarada judicialmente).

É muito comum a pergunta se seria possível a guarda compartilhada quando os pais moram em cidades distintas, e a resposta é ainda existem divergências, mas o entendimento majoritário é de que, ainda assim, ela deve ser adotada.

Outros fatores, junto com a mudança de cidade, podem afastar a guarda compartilhada, mas não ela sozinha. Bom senso, capacidade de cooperação, diálogo e compartilhamento de decisões são alguns fatores importantes numa guarda compartilhada e mais ainda quando falamos em pais morando em cidades diferentes.

Assim, para determinar a possibilidade da guarda compartilhada para pais que residem em cidades distintas, é necessário analisar as particularidades de cada caso.

Para os casos do genitor que está com o lar de referência da criança, que resolve mudar de cidade e não possui uma boa relação com o outro genitor, é importante que essa mudança seja informada e, a depender do caso, requerer a mudança da guarda compartilha para unilateral.

Lembrando que a prioridade é o bem-estar da criança, logo, todas as condutas e decisões devem ser em prol dela.

Leave a comment