Skip to content Skip to footer

O que acontece com o pai que não paga pensão no dia certo?

Quando a pensão alimentícia é regulamentada judicialmente, geralmente possui um prazo no qual a pensão deve ser paga, como por exemplo, até o dia 10 de cada mês. Essa data é acordada entre as partes. Mesmo com a data acordada, não são poucos os relatos de mães que informam que o pai não paga a pensão no dia certo, que paga quando quer ou quando pode, geralmente atrasando dias e, consequentemente, várias despesas das crianças ficam desfalcadas.

Claro que imprevistos podem acontecer, devendo ser informado um pequeno atraso no pagamento da pensão e explicando a situação que ocorreu. Este artigo visa falar dos casos onde o pai atrasa o pagamento da pensão alimentícia por mero capricho. Sabe o que pode acontecer?

Quando a pensão não é paga no dia acordado entre as partes, mesmo que seja apenas 1 dia de atraso, já é possível entrar com uma ação judicial solicitando a cobrança desses valores através da execução de alimentos. Nessa ação de execução de alimentos, o pai será intimado para pagar o débito em 3 dias ou apresentar justificativa e, se não pagar ou a justificativa pelo pagamento não for aceita pelo juiz, a execução seguirá e esse pai pode ser preso ou até mesmo ter seus bens e valores bloqueados e penhorados e seu nome inscrito na lista do SPC e da Serasa.

Então, o ideal é sempre pagar na data correta e, se surgir algum imprevisto que impossibilite que o pagamento seja feito naquela data em determinado mês, é recomendado conversar com a genitora e informar que poderá haver algum atraso, explicando a situação e evitando maiores “surpresas”.

Lembrando que só é possível executar a pensão alimentícia que foi regulamentada judicialmente. Portanto, se você não tem o benefício da pensão alimentícia, ou se que está com dificuldades financeiras, o conselho é procurar um advogado para acionar a justiça o quanto antes.

Leave a comment