Skip to content Skip to footer

Banco não é responsável por indenizar cliente que cair no “Golpe do Precatório”

Primeiro vamos entender que golpe é esse? O chamado “Golpe do Precatório” funciona da seguinte forma: O estelionatário liga para a vítima alegando de ser funcionário de um escritório de advocacia e que o precatório que ela estava esperando saiu, mas que para recebê-lo ela deverá fazer uma transferência bancária de “X mil reais”.

Precatórios são valores determinados por sentenças judiciais em processos contra municípios, estados ou a União, em decisões definitivas, quando não há mais possibilidade de recursos, em caso de vitória do cidadão. São processos longos, que podem levar anos e envolvem indenizações altas. Geralmente a vítima tem mesmo um precatório para ser liberado em seu nome e por isso elas acabam caindo no golpe.

Os golpistas consultam a lista de pagamento de precatório contida nos sites dos tribunais e conseguem entrar em contato com as pessoas da lista e aplicam o golpe, de modo geral eles focam em pessoas idosas que estão na lista preferencial de pagamento por idade. A vítima por saber que realmente tem valores a receber, termina por acreditar e muitas vezes até faz a transferência para esses golpistas.

Nessa situação cabe avaliar, qual a responsabilidade do banco da vítima?

O banco da vítima não possui nenhuma responsabilidade, pois o dinheiro não saiu indevidamente da conta, a vítima enviou o dinheiro por vontade própria. Dessa forma não há nenhuma obrigação da instituição financeira em restituir o dinheiro.

O que se tem a fazer é desconfiar de todas as ligações onde existe a informação de que para receber certa quantia, a pessoa tem que transferir outra quantia. Isso não existe. Se existirem maiores dúvidas as pessoas devem entrar em contato com o próprio advogado e verificar essa informação.

Leave a comment